Salvador Netto, tecladista da banda Asa de Luz, concedeu à Rock Progressivo Brasil uma rápida entrevista via e-mail, falndo da amizade com o Sagrado e sobre o futuro do Asa de Luz:

- Vocês já tinham gravado um disco conceitual antes, não é? Só foi lançado em vinil? Ainda existe? Será relançado?

Nós lançamos um CD independente em 1996 com título homônimo à Banda. Foi uma produção do baixista mineiro Ivan Corrêa, mas não é propriamente um disco de Rock Progressivo, apesar de apresentar muitas nuances do estilo.

  - Fico feliz que a banda cante tanto em inglês quanto em português. De quem foi a idéia? Falem sobre o disco...

Nós já fazíamos algumas composições em inglês, quando fechamos contrato com a PRW nos foi solicitado que a maioria das músicas fosse em inglês. Isso foi muito bom pois eu (Salvador Netto) como compositor, acho que a língua inglesa possui uma sonoridade melhor em relação ao estilo que tocamos.

  - De onde surgiu o convite para convidados como Marcus Viana? Ele e outros componentes do Sagrado são amigos pessoais da banda?

Somos fãs incondicionais do Sagrado há mais de 10 anos. Graças à influência do Sagrado resolvemos tocar progressivo. Fomos à luta, viajamos para Belo Horizonte, travamos contato com o pessoal do Sagrado, que sempre nos tratou muito bem e, como nosso produtor e baixista é também músico do Sagrado, esse laço de cordialidade se estreitou mais ainda. Ivan Corrêa é mais do que um amigo, é como se fosse um irmão mais velho. É o ser humano mais gentil, sincero e lúcido que conheço. Não me imagino fazendo um disco sem a sua direção e o seu ponderamento. Marcus Viana é um gênio da música que ainda não teve 1% do seu talento reconhecido.

  - A faixa "All for One" é baseada na história "O Homem da Máscara de Ferro".  Qual a relação da banda com a literatura?

Na verdade, fui ao cinema ver a atual versão do romance e achei fantástico o enfoque poético e a amizade além das fronteiras do tempo. Fora isso, gosto muito de ler e já tenho pronta uma música para o próximo CD baseada num atual romance nacional.

  - O que esperar do Asa de Luz em relação aos próximos trabalhos? Como vocês encaram o rock progressivo para o próximo milênio?

Começaremos a nos apresentar a partir de abril. Fomos convidados para participar do 2º Festival de Inverno de Nova Friburgo, onde deverão se apresentar uma Sinfônica da Itália, Chico Buarque, Marisa Monte, Paulinho da Viola e outros. É um evento em nível nacional que ainda vai ter sua programação confirmada. Estamos tentando contatos no exterior e estamos abertos a convites para shows no Brasil, de preferência em Festivais de Rock Progressivo.

Pretendemos, para o próximo CD, contar com uma verba de produção relativamente maior e, então, viabilizar a contratação de um quarteto de cordas, percussão sinfônica e alguns instrumentos de sopro. Dessa forma obteríamos um resultado mais sinfônico. De qualquer forma, já temos três composições para o próximo trabalho sendo duas delas com longos trechos instrumentais e a terceira totalmente instrumental. A tendência é que seja um disco com uma base instrumental mais forte. Quanto ao próximo milênio, acredito qua haja uma expansão muito grande nesse segmento à medida que a internet e os canais de transmissão por satélite se difundam e aumentem a democratizaçào e o acesso aos meios.

  - Obrigado e mantenham o link!

Nós é que agradecemos o apoio que vocês tem nos dados. Estaremos esperando sua presença quando do show de lançamento do CD.