Steve Rothery - The Ghosts of Pripyat

Início

Steve Rothery - The Ghosts of Pripyat

 

 

 

Músicos:

Steve Rothery - guitarra, violão e teclados; Dave Foster - guitarra; Yatim Malimi - baixo, Leon Parr - bateria e Riccardo Romano - teclados e guitarra

Ano: 2015

País: Inglaterra

Gravadora: Inside Out

Estilo: progressivo, guitarra

Sítio oficial: http://www.steverothery.com/

 

 

 

Comentários:
 

Rothery teve duas ofertas para gravar um disco solo: uma durante a gravação de Misplaced Childhood e a segunda durante Brave, sendo que esta a idéia era um disco 100% instrumental. Ambas foram descartadas e Rothery prosseguiu com o seu projeto paralelo The Wishing Tree. Desta vez, o disco sai com a benção da Inside Out. Steve Hackett aparece como convidado em Morpheus e The Old Man and the Sea, sendo que neste última também aparece o belo trabalho de Steve Wilson. Neste primeiro disco solo do guitarrista do Marillion (não contando seu já mencionado projeto paralelo The Wishing Three), o título refere-se a cidade da Ucrânia onde ficava a usina de Chernobyl. Fica o destaque total para para o timbre característico de sua guitarra em um disco para ouvir sem compromisso. Algumas faixas daqui poderiam passar tranquilamente como sendo do Marillion. O encarte mostra total relação com as músicas - belo trabalho de Lasse Holie.

 

 

 

(Cesar Lanzarini)

Músicas

Avaliação

Outros comentários sobre este CD?

Morpheus - começa como balada (com o timbre de guitarra característico de Rothery) e progride para andamento um pouco mais rápido. Boa presença de hammond e belos solos de guitarra.
Kendris - interessante faixa de um pop muito bem elaborado.
Old Man of the Sea - faixa mais longa do CD (quase 12 minutos). Outra música que começa com uma balada com bela guitarra para depois transformar-se em um belo petardo progressivo à base de muito hammond. Sem sombra de dúvida a melhor música do CD.
White Pass - a música começa lenta e evolui para um repetitivo riff de guitarra com um belo solo à frente com os teclados lentamente tomando conta.
Yesterday‘s Hero - outra música na mesma linha: começa lenta e progride para ótimo andamento, só que desta vez apenas mais próxima do final. Esta música lembrou-me muito algumas composições de Ian Bairson no Alan Parsons Project.
Summer‘s End - faixa com pegada mais rock‘n‘roll, repleta de hammonds.
The Ghosts of Pripyat - faixa-título do CD. Aqui destaca-se o violão do início que depois evolui para um blues-rock.

Composição/músicas - bom

Produção/gravação - bom

Músicos: bom

Arte/Encarte: bom

 

Confira no site Progbrasil outras opiniões sobre este CD, bem como de outros lançamentos!


: