Rio Art Rock Festival 97 - Same - Rock Symphony - 2000

rarf97.jpg (15833 bytes)

Bandas: Disco 1: Quaterna Réquiem, Violeta de Outono e Par Lindh Project - Disco 2 (bonus): El Fire, Minimum Vital, Sagrado Coração da Terra, Solaris, Apocalypse, Tempus Fugit e Pendragon

Músicas: Fanfarra, Tríade e Irmãos Grimm; Violeta de Outono: Eclipse, Sombras Flutuantes e Declínio de Maio; Pedra do Elefante, La Teur Laute; Rapsódia Cigana; Vabadiáték; Corta, The Lord of Thousand Tales e Paintbox

Conforme prometido, a Rock Symphony lança o esperado disco com o registro do RARF 97, realizado no Rio de Janeiro. Nesta primeira edição, está incluído um disco bonus (apenas editado na primeira prensagem), com registros de outros Festivais, no caso: Minimum Vital, Solaris, Sagrado (RARF 96) e Apocalypse, Tempus Fugit e Pendragon (RARF 98). Alguns podem estranhar o fato do Bacamarte não estar presente... Na verdade Mário Neto não permitiu a inclusão da música da banda no disco, então para que não ficasse o registro, uma música do show de autoria de William Murray foi regravada em estúdio pela banda El Fire (Fernando Medeiros (Guitarra), Glauco Fernandes (Violino), Renato Teixeira (Bateria) e Willliam Murray (Baixo). Impossível compreender tal atitude de Mário Neto.

O disco 1 mostra a banda Quaterna Réquiem em plena forma, com duas músicas que impressionam muito mais ao vivo que no estúdio, além de ter uma faixa inédita (Tríade). Depois, talvez a melhor apresentação da noite: Violeta de Outono, que contou com o tecladista Fábio Ribeiro (atualmente no Angra), e que também registrou uma música inédita chamada Eclipse. Por fim, a energia e a qualidade musical indiscutível de Mr. Par Lindh, que juntamente com uma banda competente realzou um dos shows mais vibrantes de todos os RARFs até hoje realizados.

Enfim, um CD de valor histórico que conta com um encarte com muitas fotografias. Parabéns a Rock Symphony, que promete algo semelhante para o evento realizado em 1999.

Pontos Fortes: Presença de músicas inéditas, primeiro show de lançamento mundial do disco Mundus Imcompertus (Par Lindh) e único registro até o momento de uma música ao vivo do Sagrado Coração da Terra.
Pontos Fracos: Disco 2 contém gravações de baixa qualidade

Resenhas - Voltar